Ler é Perigoso

Torre de Babel

 

A mitologia grega é o berço da nossa civilização. Prometeu, Sísifo e tantos outros, eis alguns dos heróis que cometeram o pecado da hybris, o maior desafio à harmonia cósmica.
É esta mesma temática que vamos encontrar em várias narrativas do Génesis, como é o caso do episódio da Torre de Babel: os homens desejaram construir uma torre que chegasse aos céus e Deus, indignado com tal ousadia, decidiu castigá-los, dispersando-os na terra e dividindo-os em várias línguas de forma a que não se pudessem mais entender:

Todo o mundo se servia de uma mesma língua e das mesmas palavras. Como os homens emigrassem para o Oriente, encontraram um vale na terra de Senaar e aí se estabeleceram. Disseram um ao outro: “Vinde! Façamos tijolos e cozamo-los ao fogo!” (…) Vinde, construamos uma cidade e uma torre cujo ápice penetre os céus! Façamo-nos um nome e não sejamos dispersos sobre toda a terra!”
Ora, Iahweh desceu para ver a cidade e a torre que os homens tinham cosntruído. E Iahewh disse: “ Eis que todos constituem um só povo e falam ums só língua. Isso é o começo das suas iniciativas! Agora, nenhum desígnio será irrealizável para eles. Vinde! Desçamos! Confundamos a sua linguagem para que não mais se entendam uns aos outros. Iahewh os dispersou dái por toda a face da terra, e eles cessaram de construir a cidade. Deu-se-lhe por isso o nome de Babel, pois foi aí que Iahweh confundiu a linguagem de todos os habitantes da terra e foi aí que ele os dispersou sobre toda a face da terra.

Capítulo 1, 3.11 Bíblia de Jerusalém, Ed Paulos, 2010