Ler é Perigoso

STEFAN ZWEIG

Stefan Zweig Coração Impaciente

IMPASe quiséssemos resumir este livro, tarefa difícil dada a profundidade do romance, diríamos que se trata de um ensaio sobre a piedade, sentimento que vai ligar o oficial Hofmiller à jovem Edith. E é sobre os perigos desse sentimento que Condor o alerta:

Caro Sr. Tenente, é necessário saber dominar a própria piedade, senão ela causa mais prejuízos do que toda a indiferença. Se todos quiséssemos obedecer à piedade, o mundo pararia. A piedade é espada terrível, de dois gumes; quem não sabe manobrar essa espada é melhor não lhe pôr as mãos. Somente no princípio é que a compaixão, como a morfina, é benéfica para o doente, é remédio; porém, se não sabemos doseá-la, transforma-se em veneno assassino.

E ainda sobre a sua profissão de médico, diz Condor:

Quando não sabemos o que fazer, procuramos ganhar tempo e entreter o doente com mezinhas, para que não observe a nossa perplexidade; às vezes, temos sorte, a Natureza encarrega-se de iludir o doente e torna-se nossa cúmplice.. É claro que se sente melhor! Todo o tratamento ( tomar limão ou beber leite, água quente ou fria) começa por produzir certa modificação no organismo e traz consigo um novo estado que o doente, o eterno otimista, logo considera como sendo melhoras. Esta espécie de autosugestão é o nosso melhor ajudante, até auxilia os grandes burros dos médicos.