Ler é Perigoso

DANIEL ARASSE

Normalmente o LEP evita recorrer a textos que não tenham tradução portuguesa. Será sempre excepcional, e só acontecerá em casos incontornáveis, como este.

hist de peinturesDaniel Arasse (1944-2003) tem uma obra apaixonante, onde o rigor científico se alia de forma única à luminosidade de um comentário acessível a todos, mesmo àqueles que não são especialistas ou grandes conhecedores de pintura.

Neste livro não estuda só  vários pintores- Vermeer, Fra Angelico, Velásquez e outros-,  mas também o nascimento da perspectiva (e a sua relação com os estudos de cartografia, pois Florença era, na época, um dos grandes centros de cartografia), assim como movimentos artísticos, como o Barroco e o Maneirismo.

Por isso, em 2011, a rádio France Culture confiou-lhe uma emissão mensal sobre artes plásticas e História de Arte. Realizou vinte e cinco emissões que são uma viagem pela História de arte, surpreendente e cativante.

Ainda a propósito da Gioconda, descobre a relação imagem/ paisagem ao estudar os mapas que Leonardo da Vinci realizou sobre a Toscana entre 1503 e 1504, mapas que eram uma reflexão sobre como seria a região num tempo imemorial, antes do aparecimento do homem na terra.

É a partir destes mapas que Daniel Arasse estabelece as ligações que faltavam, entre a figura da Gioconda e a estranha paisagem que a envolve. O sorriso da Gioconda seria a beleza da região actual ( vida), por oposição à desolação da paisagem lunar do passado (morte).

O quadro seria uma meditação sobre o movimento (obsessão dos homens do Renascimento), sobre a evolução do homem, da terra, sobre a relação morte/ vida.

A Gioconda é também um convite à história do OLHAR na pintura ( uma história rica e profunda da civilização ocidental),

um olhar que persiste em nos inspirar a todos e a Carlos Tê,

que escreveu este belo texto para os Clã:

Para quem sorri Mona Lisa
Para quem sorri Gioconda
Alguém diga se souber
Levante o dedo e responda
É sorriso de mulher
Que tem o mundo na mão
Sabe tudo sobre o desejo
Mas faz de conta que não

A quem dará Gioconda
Seu sorriso de cortesã
Será que me dá só a mim
Mal vem o sol da manhã

Para quem sorri Mona Lisa
Está tão longe tão perto
Para quem sorri Gioconda
Para quem sorri ao certo

Talvez sorria para alguém
Escondido ao fundo da sala
Aquele amante furtivo
Que planeia roubá-la
Não sei se sorri para longe
Para lá do mal e do bem
Será que sorri por sorrir
Um sorriso para ninguém

Para quem sorri Gioconda
Está tão longe tão perto
Para quem sorri Gioconda
Ninguém sabe ao certo