Ler é Perigoso

A Viagem ao fim da noite

A Viagem ao fim da noite

A Viagem ao fim da noite (1932):

Este romance, escrito em 1932, ( em português, Ed. Ulisseia, tradução de Aníbal Fernandes) é essencialmente, uma denúncia feroz da guerra, do colonialismo e da vida dos subúrbios, entre muitas outras temáticas.

Ler ou ouvir?

Quem não o quiser ler, mas apenas ouvir, tem uma solução melhor do que o audo-livro. Basta ouvi-lo dizer pelo actor francês - Fabrice Lucchini

Céline, um escritor francês?

Céline utiliza uma linguagem oral e popular trabalhada de forma a transmitir a violência de sentimentos como a raiva, o ódio, a dor, o ressentimento, o desespero, etc. Uma linguagem que, na sua ideia do que deve ser a literatura, tem de surgir das tripas ( expressão sua). Caso contrario, não há literatura.

Se os sentimentos são universais, é na forma como se expressam que eles são particulares, a um povo, a uma cultura, a um indivíduo e a um criador.

Neste sentido, Céline é muito francês. Não um francês saído do mundo bon chic bon genre ( BCBG) mas um francês que oscila entre a verve torrencial gaulesa e o ascetismo e pessimismo de Pascal (1623-1662) ( matemático, físico e teólogo, autor, entre muitas outras, da célebre máxima- todos os males do homem derivam de não querer ficar quieto no seu quarto).

[-] VOLTAR AO PERCURSO DE VIDA

Deixe um comentário