Ler é Perigoso

Sobre o BLOG

UM BOM LEITOR É UM POTENCIAL REVOLUCIONÁRIO CAPAZ DE MUDAR O MUNDO.

1. UMA PALAVRA CURA; UMA PALAVRA MATA


2. UM LIVRO É UM COMPANHEIRO FIEL

Picasso, A leitura da carta , 1921

Um companheiro fiel - Picasso, A leitura da carta , 1921

Um compincha de viagem que nos segue sem perguntar para onde.

Um remédio que podemos tomar sem medo de overdose.

Um amante que se leva para a cama sem receio de decepcionar.

E ainda por cima:

Os livros nunca nos abandonam, podes esquecê-los às vezes e certamente que o farás, alguns mesmo durante muitos anos, ou mesmo para sempre. Mas os livros, esses, mesmo que os tenhas traído nunca te voltarão as costas: lá estarão à tua espera, humildemente, na estante. Dezenas de anos, se for preciso. Sem se queixarem. Até que uma noite, quando subitamente precisares de um deles, mesmo que sejam 3 horas da madrugada, ou um livro que desprezaste e que esqueceste durante anos, ele não te desiludirá, sairá da prateleira para te acompanhar naquele momento difícil. Sem reservas, sem procurar desculpas, nem perguntar a si próprio se vale a pena, se tu o mereces ou se ainda lhe serves, não, virá ter contigo mal tu lhe peças para vir. Nunca te trairá.- Amos Oz, História de amor e tréguas

3. OS LIVROS SÃO UMA LIBERDADE QUE NINGUÉM NOS PODE TIRAR

Fieldade dos Livros

Edward Hopper, pintor americano (1882-1967) Compartiment C, Voiture 293, 1938

A família não a escolhemos. O nosso corpo não o escolhemos. Mas os livros podemos escolhê-los.

Podem ser a nossa família de substituição,

a nossa morada alternativa,

a nossa verdadeira pátria.

4. LER É ADQUIRIR O OLHAR DA ÁGUIA

Olhar da Águia

Jean Despujols, pintor francês (1886-1965) O pensamento, 1929

Todo o ser humano já sonhou, pelo menos uma vez na vida, em voar. Um ditado chinês diz que existem dois tipos de olhar: o da tartaruga e o da águia.

Ler eleva-nos um pouco acima do solo e torna-nos capazes de ver muito daquilo que está fora do alcance do olhar da tartaruga.

5. LER É UM ACTO DE CORAGEM AO ALCANCE DE TODOS

A história do livro é inseparável da censura, de queimas, de perseguições, de prisões. Porque os livros são polémicos, abrem horizontes, despertam consciências, fazem revoluções.

Não há só bons e maus livros mas bons e maus leitores.

E um bom leitor pode ser mais influente que todos os deputados juntos de uma assembleia.

Um bom leitor é um potencial revolucionário capaz de mudar o mundo.

Um bom leitor é perigoso. Porque LER É PERIGOSO

* Em 1966, François Truffaut adaptou ao cinema o romance Fahrenheit 451, escrito em 1953 pelo americano Rad Bradbury (19320-2012)

UM COMENTÁRIO NESTE POST To “Sobre o BLOG”

  • Ingvar Lofstedt

    30 de Outubro de 2013 at 12:11

    All of the arts are dangerous, since they suggest other possible worlds. These worlds amplify the dissonance in the mundane world, and suggest concrete ways in which the present world may change or be changed. Purely decorative and purely commercial arts are in this sense empty.

Deixe um comentário